Inauguração da Biblioteca Ladjane Bandeira

Imagens da inauguração e reestruturação da Biblioteca Ladjane Bandeira

Oficina de Ambientação

 

 

 

A oficina de ambientação é uma alternativa criada pela Gerência de Biblioteca e Formação de Leitores com o propósito de colaborar com as escolas que explicitam o desejo de reestruturar os espaços de leitura, tornando-os aconchegantes e apropriados para o desenvolvimento das práticas leitoras. Ela já aconteceu em algumas escolas da rede municipal, sob a coordenação da Professora Rosa Cândida que conta com o auxílio da Professora Thelma Regina. As escolas Mário Melo e Futuro Feliz foram as primeiras a contar com essa colaboração. Confira os resultados destas oficinas através das fotos na Galeria da RELER

 

           Confiram uma breve entrevista com a Professora Rosa:

 

GBFL: Qual é a proposta da oficina de ambientação?

Rosa: Ambientar e dinamizar os espaços de leitura nas escolas.

 

GBFL: E como é desenvolvida essa oficina?

Rosa: O primeiro movimento deve partir da própria escola. A escola deve expressar seu desejo de ter um espaço mais adequado e mais atrativo para que as atividades de incentivo à leitura e a escrita possam acontecer. No momento em que a escola manifesta a sua vontade de receber esse trabalho, eu vou à escola, converso com a direção e ofereço a proposta de organizar o espaço de leitura. É interessante que todos os envolvidos com a escola participem, inclusive a própria comunidade. Os próprios alunos podem participar, em uma outra experiência, contei com a participação de algumas estudantes adolescentes, foi bastante divertido.

GBFL: As escolas possuem suas particularidades e, muitas vezes, essas particularidades chamam a nossa atenção, houve alguma escola que se destacou sob algum aspecto?

Rosa: Nesta última oficina, especificamente, o que me chamou atenção foram as pessoas que participaram. Nós tínhamos duas funcionárias do setor de apoio, da merenda, que se envolveram no trabalho. O espaço já existia, mas estava precisando de mais vida. Existia já um acervo, o ambiente era agradável, limpo organizado.

GBFL: E os recursos?

Rosa: Não há nenhum recurso externo, nós lidamos com o que a escola dispõe e lançamos mão da criatividade. Em melhorar o que já tem, como painéis e o mobiliário, em termos de aparência. E, além disso, trazemos também textos reflexivos sobre a importância da leitura, sobre a função da mediação da leitura e algumas dinâmicas que envolvem o prazer da leitura.

GBFL: Qual é o roteiro que a oficina segue?

Rosa: No primeiro momento, nós sentamos e fazemos uma reflexão em cima da importância da leitura e fazemos um pequeno exercício sobre a apresentação de imagem, sobre o viver e a partir daí a gente vai observar no espaço como ele está e o como nós desejamos que ele fique. O grupo diz como quer o espaço e então eu vou mediando, sugerindo, propondo, dentro das perspectivas discutidas na gerência de como deve ser um espaço de leitura.

GBFL: Qual é a estimativa de duração das oficinas?

Rosa: Uma vez por semana numa média de 3 a 4 horas ao dias em cerca de cinco encontros totais. Às vezes precisamos nos entender por conta de imprevistos, algumas escolas precisam de mais tempo. Também deixamos algumas tarefinhas a serem desenvolvidas pela Escola no intervalo em que não há encontros.

 

E. M. Futuro Feliz

Mário Melo

Galeria de Imagens

E. M. Mário Melo

Blogue da RELER

Benvindos e benvindas, participantes da Rede de Leitura e Escrita do Recife!

Este blogue é um projeto piloto para o que poderia vir a ser o site oficial da RELER. Naveguem à vontade! Esse espaço é de vocês.